btnHelp



No primeiro mês de 2019, setor industrial continuou derrapando

Segundo IBGE, atividade começou o ano abaixo do anterior, com tendência de redução do ritmo.

 

 Com queda em metade das áreas pesquisadas, a produção industrial caiu 0,8% de dezembro para janeiro, informou nesta quarta-feira (13) o IBGE. Na comparação com janeiro do ano passado, a atividade recuou 2,6%. Em 12 meses, o acumulado é de 0,5%, "mantendo a perda de ritmo iniciada em julho de 2018", segundo o instituto.

Três das quatro categorias e 13 dos 26 ramos registraram quedas no primeiro mês do ano. A principal influência negativa veio do setor de produtos farmoquímicos e farmacêuticos, com recuo de 10,3%. O IBGE cita ainda indústrias extrativas (-1%), máquinas e equipamentos (-2,9%) e celulose, papel e produtos de papel (-2,6%), entre outros. Entre as altas, destaque para produtos alimentícios (1,5%), no terceiro mês seguido de crescimento, bebidas (6,1%) e outros produtos químicos (3,6%).

Em relação a janeiro de 2018, o IBGE apurou queda nas quatro categorias, em 18 dos 26 ramos, 50 dos 79 grupos e 58,5% dos 805 produtos pesquisados. Produtos alimentícios (-4%), produtos farmoquímicos e farmacêuticos (-22,5%) e máquinas e equipamentos (-10,3%) foram as maiores influências negativas. O setor de veículos automotores caiu 3,7%.

"É uma produção industrial em ritmo abaixo da que encerrou 2018", comentou o gerente da pesquisa, André Macedo. "No acumulado dos últimos 12 meses, ainda estamos no positivo, mas ele vem reduzindo a intensidade dessa expansão. Em julho de 2018, esse crescimento era de 3,4%. Ou seja, até nesse indicador, que está no campo positivo, vemos uma redução da intensidade do crescimento."

 

RBA, 14 de março de 2019